sexta-feira, 28 de abril de 2017

O show tem que continuar...

Hoje, desativei o alarme do celular que me despertava às 02h50, desde o dia 1º de abril de 2016. Algumas vezes, parecia que ele tocava antes mesmo de eu ter conseguido dormir, e talvez isso até tenha acontecido. Mas nunca perdi a hora, nunca atrasei durante este período. Qualquer pessoa que me conheça minimamente, vai duvidar que não atrasei no último ano, mas é verdade. A responsabilidade de estar produzindo o principal programa do rádio brasileiro corrigiu até um dos meus defeitos crônicos. Já até tentei achar explicações patológicas para os meus atrasos, mas nunca consegui convencer aqueles que já me esperaram até por horas em compromissos marcados por mim. Neste período, trabalhei com o maior comunicador de rádio do Brasil, mas esse Antonio Carlos todo mundo conhece. Porém, tive a oportunidade de conhecer o profissional por trás do microfone. E com esse aprendi muito! Ele nunca faltou e nem chegou atrasado. Não dorme tarde e usa 8 despertadores em volta da cama, para não correr o risco do "cochilo de só mais 5 minutinhos" que sempre acaba de forma trágica. Aprendi como se faz um programa de rádio totalmente dedicado ao ouvinte, sem que o gosto pessoal do comunicador interfira no conteúdo. Nunca ouvi o Antonio Carlos falar "o meu programa".  Também aprendi o que é uma equipe de verdade, daquelas que são imbatíveis, tipo a seleção brasileira da Copa de 1970. Mas para dar certo, todos têm que desempenhar as suas funções com perfeição.
Se você acha que sou uma pessoa bacana, é porque não trabalha comigo. Quando a luz vermelha "no ar" acende no estúdio, me transformo no cara mais perfeccionista e sério (chato) do planeta. Já me aborreci com bons amigos que não me levaram a sério enquanto eu produzia um programa. Se algo dá errado, minha coluna começa a travar e a cabeça a doer. Como não gosto de me sentir assim, só tenho a opção de fazer o melhor possível, mesmo que isso signifique regravar a mesma reportagem 8 vezes, até achar que tirei o melhor de mim. Acredito que a seriedade (até exagerada) com o trabalho tenha sido responsável pelo respeito que o Antonio Carlos demonstrou ter por mim, desde quando cobri as férias do Gelcio Cunha pela primeira vez, em janeiro do ano passado. Não sou amigo pessoal do Antonio Carlos, por isso me limito a falar dele apenas como profissional. Mas pelo pouco que sei, o caminho que ele percorreu até se tornar o radialista mais bem sucedido do país, daria um belo livro. Como profissional, ainda não conheci e provavelmente não conhecerei alguém mais disciplinado e focado no trabalho.

No entanto, admito que no início não achava que seria assim. Fiz jornalismo acreditando no dever cívico da profissão. Por isso, sempre quis ser repórter, prestar serviço, denunciar as mazelas da nossa sociedade, ser a "voz do outro que há dentro de mim", como canta o Frejat num trecho da música 'Política Voz' do Barão Vermelho. Não é a toa que escolhi essa música para tocar na minha colação de grau. Vinte dias antes de assumir a produção do 'Show do Antonio Carlos', estreei na programação da Rádio Globo o quadro 'Conta Pra Gente'. Era o resgate da essência do trabalho construído pelos grandes repórteres que passaram pelo Amarelinho da Globo, como Gelcio Cunha, Robson Aldir e Alberto Brandão. Em apenas 3 semanas, resolvemos os problemas de muitas pessoas, chorei dentro do Amarelinho após entrevistar uma senhora que havia perdido tudo por causa de uma forte chuva e bati boca com um prefeito da Baixada Fluminense que tentou insinuar que a minha denúncia não era verdadeira. Estava no auge do meu sonho de estudante. Quando soube que abandonaria o quadro para ser produtor, não pensei duas vezes: fui à sala do diretor para comunicar que pediria demissão. Além do diretor, estava na sala também o meu coordenador. Os dois ficaram surpresos e tiveram a paciência necessária para me fazerem reconhecer que estava sendo impulsivo e imaturo. Sou grato aos dois por isso. Achei que era o fim da minha carreira como repórter. Mas, na verdade, era apenas um recomeço na forma de fazer jornalismo e prestar serviço. Em poucas semanas, percebi que assumir a produção do programa nº 1 do rádio brasileiro era uma honra, daquelas que merecem destaque no currículo. Mesmo sendo fã e ouvinte do Antonio Carlos, nunca me imaginei trabalhando com ele. Numa mesma edição do programa, eu gargalhava até doer os músculos da face brincando com a Juju e o Gelcio, mas também me emocionava com as histórias contadas no quadro 'As canções do Rei e as histórias de cada um'.
Já que o programa acabou, vou fazer uma confissão: enviei uma carta para a produção do programa me passando por um ouvinte, pois queria me despedir de alguém especial no quadro 'As canções do Rei...'. Toda a história foi real, apenas os nomes não eram verdadeiros. A responsável por esse quadro era a Aldenora Santos, a Pudica. Ela recebia as cartas e e-mails dos ouvintes e passava as histórias para linguagem radiofônica. O mais engraçado foi ela me falando "Cantharino, você leu a história desse ouvinte? Que emocionante!". O único que soube na época que era a história da minha vida foi o Antonio Marcos Pires, o Toninho Bondade, que atualmente é um dos meus melhores amigos. Não comentei com ninguém que faria isso e utilizei nomes que só faziam sentido para mim e para a pessoa. Mas surpreendentemente, logo após o fim do quadro, recebi a seguinte mensagem de um amigo de infância que era ouvinte do programa: "Bela homenagem, amigo!"
(Pausa para ouvir novamente a gravação)
Na mesma época, o Gelcio Cunha me provou que é uma das pessoas com o coração mais belo que habitam este mundo. Dos integrantes do programa, sempre fui o primeiro a chegar à rádio. Um dia, o Gelcio chegou e não respondi o seu "bom dia" com a mesma alegria de sempre. Mesmo enrolado com a pauta das entrevistas (ele também é a pessoa mais enrolada que eu conheço), me chamou na mesa dele e perguntou o que estava acontecendo. Respondi qual era o motivo da minha tristeza. E quando menos eu esperava, ele me abraçou forte e começou a chorar. Durante uma semana, ele fez questão de ir tomar café da manhã comigo depois do programa, no bar ao lado da rádio. Admiro muito a Juçara, a Aldenora e a Zora, elas são as melhores no que fazem, mas nunca fomos muito próximos.
A partir da minha entrada na equipe, começamos a fazer reuniões de pauta após o programa, para decidirmos os temas e entrevistados do programa seguinte. Participava também da reunião a minha amiga e chefe Heloisa Paladino. Era uma verdadeira terapia! A gente ria até perder o ar com o Antonio Carlos contando histórias sobre seus quase 60 anos profissão. A cada reunião, ele nos enriquecia de conhecimento sobre a história dos meios de comunicações com seus heróis e vilões.
Deixei a parte mais importante para o final: os ouvintes! Os ouvintes do 'Show do Antonio Carlos' são diferentes, eles são amorosos, fiéis e nos tratam como membros da família. Até hoje, recebo ligações de pessoas que falam que oraram por mim quando souberam do assalto que sofri em janeiro. Pessoas de todas as classes sociais e idades. Algumas pessoas escolhiam comemorar seus aniversários com a gente no estúdio. Compravam bolo, salgadinhos, refrigerante e apareciam na rádio às 06h da manhã. Engordei alguns quilos por causa disso. Ah, que carinho gostoso! Alguns se tornaram amigos muito além do estúdio. Guardo com carinho todas as lembranças que ganhei nesses 12 meses. Hoje, dezenas de pessoas se espremeram no estúdio para acompanhar a última edição do programa. Foi emocionante! Apresentei a edição de 08h30 do jornal 'Rio em 1 Minuto' chorando, literalmente. Como prêmio deste período, fica a honra de ter produzido o belo programa especial de 40 anos do 'Show do Antonio Carlos, no dia 17 de março deste ano.

Farei parte do projeto da 'Nova Rádio Globo'. A partir da próxima segunda-feira, já estarei numa nova função e em novo horário, trocando às 4 da manhã pelas 4 da tarde. Conto com a torcida e compreensão dos amigos que ganhei neste último ano.
Ao Antonio Carlos e à Juçara, que deixaram a Rádio Globo hoje, desejo que muitos microfones se abram, seja o da Rádio Tupi ou de qualquer outra emissora. Estarei sempre na torcida por vocês, pois como diz o refrão da canção que escolhi para tocar no programa de hoje, "o show tem que continuar".
Muito obrigado por tudo e a todos que participaram deste momento especial da minha vida!

13 comentários:

  1. Que linda homenagem! Parabéns pelo trabalho e dedicação. Super boa sorte nessa nossa etapa da sua vida e carreira. Com certeza já deu certo! Ao Antônio Carlos, ainda não entendi o que aconteceu. Será difícil acostumar com a falta e a voz dele de todas as manhãs, mas como vc, desejo de coração toda sorte e felicidade do mundo para eles.

    ResponderExcluir
  2. Estou buscando explicação para saída do programa do ar. Sou ouvinte diário de mais de 20 anos Não pude ouvir todo programa ontem. Acho que merecemos uma satisfação mais detalhada, o que aconteceu, saber se Antonio Carlos vai para outra emissora. Se a Juju também vai. Muito triste essa saída repentina.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei muito triste com o fim do programa. Acho que em time campeão não se deve mexer, mas tem coisas que não conseguimos entender. Que as portas de abram para o comunicador número 1 da rádio e sucesso pra você no novo horário. Parabéns pela bela homenagem!!

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente fiquei muito triste com o término do programa. Talvez a rádio globo tenha perdido um ouvinte na parte da manhã , quem sabe passarei a escutar a rádio a tarde por sua causa. Porque na parte da manhã sem Juju e Antônio Carlos tô fora bjs .Sucesso.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, Cantharino!!! Que linda homenagem!!! E obrigada pela parceria e paciência no mês que passei naquele estúdio sentindo todas essas verdades que vc tão bem descreveu aqui. António Carlos foi um exemplo é sempre será para todos nós. Gratidão é uma qualidade que poucos têm. Que bom saber que vc a tem. E vamos seguir... pq " o show tem que continuar..." ������

    ResponderExcluir
  6. Belíssimas palavras! Parabéns e muito sucesso pra você.

    ResponderExcluir
  7. Maravilhoso seu relato.
    É inegável que o PROGRAMA do ANTONIO CARLOS foi e sempre será...
    Ficarei a deriva...
    Pois minhas filhas cresceram e também escutavam o ANTÔNIO CARLOS.
    E agora ficará um vazio.
    Espero em breve ouvir ANTÔNIO CARLOS, onde ELE for... lá estarei para ouvir
    À você Cantarino; sucesso nesta sua nova empreitada
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. Amigo sou aqui do Rio grande do Norte,mais precisamente de Serra de São Bento distante 130 km da capital Natal,comecei a ouvir o Antônio Carlos no primeiro dia de Rádio Globo aqui no Rio Grande do Norte com apenas 12 anos a partir daí virei fã e nesses quase quinze anos de Rádio Globo em Natal não teve este dia que não o ouvisse seja pelo diaintertel,ou pela Claro TV ou pela internet no périodo em que o programa ficou restrito ao Rio, estava ancioso pra ouvir pelo FM quando a Globo Natal migrasse mas infelizmente não será possivel,mas não posso deixar de dizer sim o show do Antônio Carlos é e sempre será sucesso onde passar,que Deus o abençoe e vamos sim ouvir ele pela internet na nova casa,Ricardo boa Sorte na nova Rádio Globo, Sigo aqui do RN também na escuta da Globo.

    ResponderExcluir
  9. Sou professor da rede pública do Estado do Rio de Janeiro e tenho formação em Jornalismo e devido a esse problema do pagamento dos servidores muitas ficava irritado quando diziam que os professores haviam recebido antes como se fossemos escolhidos.Você uma vez esclareceu que recebíamos devido ao FUNDEB (que já existe há mais de 20 anos e foi criado para melhorar o salário do profissional da educação pública e não ser fonte pagadora como acontece desde 2016). Você esclareceu isso e também sempre demonstrou uma postura madura, sensível a situação geral, seja do país ou da cidade. Um grande sucesso no novo projeto. Alvaro Luís Paixão no facebook

    ResponderExcluir
  10. maria lucia costa-emocionante,chorei-sucesso para voce,catarino ,pois voce merece-e sensivel e inteligente!conte comigo!

    ResponderExcluir
  11. Relato muito sincero e emocionante, Cantharino, como tudo que você escreve. Imagino que você vá levar isso para o resto da sua vida, pois trabalhou com uma lenda !

    ResponderExcluir
  12. Ingratidão da Globo!!! Mas, somos obrigados a conviver com as mudanças!!
    Sou sua fã!! Pra você que é jovem e talentoso, tem uma voz linda, desejo toda a sorte do mundo!!!
    Para a Diretoria da Globo, desejo que o arrependimento destas medidas não demore muito!!!!
    Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir